segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Resenha - 1984 (George Orwell)



Se você quer uma imagem do futuro, imagine uma bota prensando um rosto humano para sempre.” (George Orwell



  O livro é narrado em terceira pessoa e relata a história de Winston Smith, funcionário do Ministério da Verdade da Oceania. A Oceania vive um totalitarismo desde que o IngSoc chegou ao poder sob comando do Grande Irmão. Devido ao seu contato com notícias antigas, ele sabia que havia algo muito errado no governo.
  Winston conhece Júlia, e recebe desta um bilhete onde havia escrito “eu te amo”, o que era proibido entre os membros do partido. O casal começa a se encontrar num quarto que Winston havia “encontrado” num bairro proletário onde não havia teletelas (Instrumento espalhado por todos os lugares, inclusive dentro das casas, usado para vigiar a população 24 Hrs, uma espécie de televisão que também filmava seu telespectador). Com o tempo, ele descobre que Júlia também compartilha das mesmas idéias contra o partido, e vê nela uma ótima companheira de guerra, compartilhando assim seus sentimentos.

   1984 é uma metáfora sobre as instituições modernas. Orwell tinha a intenção de descrever o futuro baseado nos absurdos do presente.
   Com a leitura do livro e um pouco de conhecimento de história, a que aprendemos no ensino médio mesmo (nada muito profundo) podemos ver a inspiração do autor para compor sua obra:

  • Hitler foi inspiração para a “semana do ódio”, que é uma parodio dos eventos políticos (como a reunião de Nuremberg) .
  • O trabalho de Winston de “reescrever a história” era muito comum na União Soviética.

Guerra é Paz
Liberdade é Escravidão
Ignorância é Força

O lema do partido, segundo o livro. Duplipensar é a capacidade de guardar duas idéias contraditórias, e aceitar ambas.

“Saber e não saber, ter consciência de completa veracidade ao exprimir mentiras cuidadosamente arquitetadas, defender simultaneamente duas opiniões opostas, sabendo-as contraditórias e ainda assim acreditando em ambas; usar a lógica contra a lógica, repudiar a moralidade em nome da moralidade, crer na impossibilidade da Democracia e que o Partido era o guardião da Democracia; esquecer tudo quanto fosse necessário esquecer, trazê-lo à memória prontamente no momento preciso, e depois torná-lo a esquecer; e acima de tudo, aplicar o próprio processo ao processo. Essa era a sutileza derradeira: induzir conscientemente a inconsciência, e então, tornar-se inconsciente do ato de hipnose que se acabava de realizar. Até para compreender a palavra "duplipensar" era necessário usar o duplipensar.”


Está resenha está pronta a algum tempo, mas estava esperando ver o filme para poder fazer uma postagem mais completa. Não consegui vê-lo ainda e não vou conseguir ver por enquanto, e também preciso dessa postagem agora para uma outra coisa que irei postar brevemente! rsrsrsrsrs

16 comentários:

  1. Nossa cheia de suspense você hein ratinha!
    Adorei a resenha quero muito ler esse livro. bjs.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, eu gostei, hein!
    Ainda não estava na minha lista, mas vai entrar agora!

    BjoO
    Pri
    Entre Fatos e Livros

    ResponderExcluir
  3. Boa resenha. Esse livro é ótimo! George Orwell era genial. Ainda não vi o filme.Tinha algumas expectativas, mas amigos acabaram com elas...disseram que o filme não faz juz ao livro. Mas é sempre assim, não?

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Te indiquei no meu blog, para participar do Desafio dos Sete!
    É muito simples, você só precisa fazer um post respondendo as questões :D
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Michelle, eu vi o começo do filme e não me pareceu tão diferente do livro.
    Bom, não sei né. Quando eu ver tudo posso falar com mais segurança! rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  6. adorei a resenha! hoje msmo eu estava conversando com um amigo sobre esse livro e ele está adorando! =]

    --
    hangover at 16

    ResponderExcluir
  7. ótima resenha... tinha lido o 1984 em ingles já e resolvi comprar a versao em portugues, jah que a que eu tenho é menor... Gostei mesmo.. Parabéns =)

    ResponderExcluir
  8. Nossa que livro forte!!
    arrepiei com o lema:
    Guerra é Paz
    Liberdade é Escravidão
    Ignorância é Força

    Noossa.....
    beijos

    ResponderExcluir
  9. Resenha muito bem escrita..
    já estava na minha lista, agora definitivamente não sai mais até que eu consiga ler...

    ResponderExcluir
  10. Ainda não li esse livro. Não acredito nisso!
    Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Hum! Vim pelo recado no Skoob.

    Adorei a resenha. Super objetiva e de um memorável aprofundamento.

    É quero ler sim, só estou sem tempo para ir atrás dele. Diga-se de passagem, que agora fiquei realmente com vontade de ler, não só pelo tema, mas por ser um antecedente para o "V, de vingança" O qual estou lendo o original do Moore.

    Abraços

    ResponderExcluir
  12. vi seu recado no skoob e resolvi dar uma passadinha.
    eu ja to querendo ler ele a um tempinho mas sempre surgem outros livros na frente sua resenha me deixou mais empolgada ainda

    beijos!

    ResponderExcluir
  13. Gostei da resenha. Parabéns.

    1984 está entre os livros que pretendo ler este ano.

    Beijão pra vc.

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    Posso dizer que ainda não li o livro, mas sua resenha ficou tão interessante que a indiquei para o quadro Resenhas 10+ em meu blog. Espero que sua criticidade continue sempre tão verdadeira quanto me parece, e que muitas resenhas mais sejam feitas.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  15. Adorei a resenha.
    Gostei dessa coisa de ir contra o partido. Agora me diz... Essa história de amor funfa? Porque eu também gosto de romances no meio desse bando de coisas que você tem que aceitar mas é doida pra ir contra hahahaha

    Um beijo!
    http://artbooks.blogspot.com

    ResponderExcluir

Seu comentário me fará feliz! ☺☻☺
Idéias, sugestões e críticas são sempre bem vindas! ☻☺☻